Notícias

Alegrete inicia elaboração de plano contra queimadas

24/01/2022 | Fonte: CP | Acessos: 63

Encontro realizado nesta terça-feira teve como objetivo alinhar as medidas necessárias

O prefeito de Alegrete, Márcio do Amaral, coordenou na terça-feira, reunião para discutir as situações das queimadas e possível formatação de um Plano Municipal de Combate às Queimadas, por meio de um comitê local. “Um movimento que tem como destino a consciência, não tão somente o combate ao fogo, com certeza os resultados serão mais exitosos. Sabemos que, infelizmente, um pequeno percentual acaba tendo parcela de responsabilidade na incidência desses acontecimentos. Por isso, a insistência na sensibilização das pessoas para não botar fogo no lixo, nos entulhos, enfim, todos têm que fazer a sua parte”, disse Amaral.

Na reunião, o prefeito ponderou que o Plano deverá contar com reforço para as ações preventivas. “Isso demonstra a vontade de fazer e que estamos fazendo. A gestão trabalha para oferecer saúde e segurança a toda população. Nós estamos fazendo o possível para articular recursos nas esferas estadual e federal para auxiliar nos prejuízos dos produtores atingidos, sejam pequenos, médios ou grandes”, acrescentou o prefeito.

O encontro teve como objetivo debater os principais pontos de um futuro plano e alinhar as medidas necessárias. Para Amaral, é preciso criar um instrumento de gestão de risco, possibilitando aos gestores públicos a adoção de medidas de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação, com o objetivo de minimizar os efeitos tanto da estiagem quanto das queimadas. “Não adianta após a primeira chuvinha a gente esquecer o que estamos combinando aqui”, frisou.

O coordenador regional da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Antonino Oliveira, destacou que é esperado um ano difícil em relação às queimadas. "Ao que tudo indica teremos um ano muito difícil, com o aumento de registros de queimadas e se faz ainda mais necessária uma ação intensa e conjunta. O Governo do Estado está à disposição desta importante região”.

A atividade contou com a participação do presidente do Sindicato Rural, Luiz Gomes, que ressaltou a importância de muitos voluntários nas ações de combate aos incêndios e a necessidade de investigações profundas para descobrir as causas das queimadas. “Esperamos e cobraremos investigações das nossas autoridades. Temos que melhorar a estrutura, óbvio que sim. Nossos produtores passaram por grandes perdas. A cidade pode contar com o Sindicato Rural para o que precisar, seja na criação de um plano de contingência ou até mesmo na busca por ampliação de efetivos”, comentou.

O presidente da Câmara de Vereadores, Anilton Oliveira destacou o documento entregue pela Frente Parlamentar da Agropecuária. Com diversos pontos considerados prioritários, dentre os quais a organização de um gabinete de crise. O secretário de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Daniel Gindri enfatizou a preocupação do prefeito Márcio Amaral na elaboração de práticas efetivas de controle às queimadas.

“Devemos centralizar as ações para que todos trabalhem com o mesmo objetivo. Precisamos enaltecer Alegrete. Nos últimos meses criamos mais de 200 açudes. Estamos com a previsão, até o fim de 2022, da perfuração de nove poços artesianos. Cada um custa para o município mais de R$ 100 mil. A reunião é um plano que irá envolver todas as forças da comunidade, pois além de treinamentos e prática executada pelos bombeiros, tem que ser trabalhada a educação ambiental. São ações que devem andar juntas”, esclareceu Gindri. Já o Corpo de Bombeiros ressaltou o alerta na região de Uruguaiana, Alegrete e Livramento, pela extensão territorial e alto número de ocorrências.

< Voltar

Envie a um amigo