Notícias

Amzop defende projetos estruturantes para enfrentar as estiagens

18/01/2022 | Fonte: CP | Acessos: 72

Problemas de desabastecimento de água afetam milhares de famílias que residem no interior dos municípios

As chuvas esparsas e localizadas registradas nos últimos dias no Norte do Estado em nada alteram o nível de fontes naturais, poços artesianos e os problemas de desabastecimento de água que afetam milhares de famílias que residem no interior dos municípios. A média histórica mensal de precipitações neste período é de 150 milímetros, mas o volume alcançou apenas 40 milímetros nos últimos meses.

O presidente da Associação dos Municípios da Zona da Produção (Amzop) e prefeito de São Pedro das Missões, Antonio Ferreira da Silva, afirma que é preciso pensar projetos estruturantes de prevenção à seca. “É necessário, entre outros itens, aumentar os recursos nos programas de construção de cisterna, açudes e represas e criar um programa de financiamento com juros subsidiados para implantação de redes de abastecimento de água para os municípios”, disse.

Ferreira citou que, em recente assembleia da Amzop, os prefeitos dos 43 municípios da associação mostraram muita preocupação com os problemas decorrentes da estiagem prolongada. “Além de milhares de famílias da zona rural enfrentarem problemas de falta de água, registra-se as perdas econômicas no setor primário e a descapitalização dos moradores do interior dos municípios”, avalia.

O dirigente da Amzop afirma que se registra uma realidade de muita preocupação quanto à falta de água para consumo humano, desafio enfrentado pelas prefeituras mediante o uso de caminhões-pipa e transporte de água até as localidades. “Os prefeitos estão fazendo sua parte para atender os moradores, inclusive utilizando recursos extra-orçamentários para fazer frente à situação. O estado está tomando várias inciativas louváveis, mas precisamos avançar ainda mais, inclusive com a ajuda do Governo Federal, pois o RS vive uma estiagem histórica e devastadora”, alerta Ferreira.

As perdas no setor primário se concentram nas lavouras de milho, soja e pastagens. Empreendimentos das áreas da suinocultura, bacia leiteira e avicultura também são afetados. Diante da realidade, os prefeitos da região solicitam a liberação imediata dos recursos pendentes da Consulta Popular em favor dos municípios. Também pedem que seja analisada a possibilidade de rever e agilizar os processos de armazenamento de água nas propriedades.

< Voltar

Envie a um amigo