Notícias

Municípios padecem sem profissionais do mais médicos

31/01/2019 | Fonte: Amzop | Acessos: 26

Há pelo menos onze vagas abertas na região segundo levantamento da Amzop

Desde que os médicos Cubanos deixaram a região devido ao rompimento entre Brasil e Cuba no Programa Mais Médicos (em 14 de novembro de 2018), vários municípios ainda não receberam os novos profissionais para realizar o atendimento à população.

O tema foi levantado pelos prefeitos durante a assembleia geral da Amzop na última sexta 25, com a presença do presidente da Famurs, prefeito de Garibaldi, Antônio Cetollin. Uma das reclamações dos prefeitos são as constantes mudanças nos editais para seleção dos novos profissionais sem atender a demanda dos municípios.

Cetollin destacou que a Famurs segue atenta acompanhando de perto a situação e em contato constante com o Ministério da Saúde. O presidente da Amzop, prefeito de Ametista do Sul, Gilmar da Silva, lembra que em muitos municípios o atendimento médico na saúde básico se resume ao Mais Médicos, por isso a importância do Programa.

A Amzop está realizando um levantamento para contabilizar os municípios que estão sofrendo com a falta de médicos. Jaboticaba, Seberi, Constantina, Rodeio Bonito, Rio dos Índios, Chapada, São Pedro das Missões e Novo Barreiro estão entre os casos com vagas abertas.

No caso de Seberi são três vagas, para Constantina duas (um profissional para a Unidade Basica de Saúde e outro para atender a área indígena). Os demais todos com uma vaga. “Esperamos que este quadro se normalize o mais rápido possível, conforme era a promessa do Governo Federal, lembra o presidente da Amzop.

< Voltar

Envie a um amigo