Notícias

Ministério da Cultura irá destinar R$ 80 milhões a projetos de audiovisual

02/03/2018 | Fonte: CNM | Acessos: 186

O Ministério da Cultura (MinC) lançou 11 editais, prevendo a destinação de R$ 80 milhões, oriundos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), para 248 projetos do setor do audiovisual. Interessados em participar da seleção devem ficar atentos ao fim do período de inscrição de cada chamada, que varia entre os dias 13 e 27 de abril. O envio das propostas é realizado por meio da plataforma Sistema Mapas Culturais.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) destaca que, apesar dos editais não possibilitarem que os Entes municipais sejam proponentes, as prefeituras podem divulgar a iniciativa junto aos agentes culturais do segmento do audiovisual, em específico, as empresas produtoras.

De acordo com o MinC, em 2014, as atividades econômicas do setor foram diretamente responsáveis por uma geração de renda de R$ 24,5 bilhões na economia brasileira. O impacto no PIB, nesse mesmo ano, foi maior que o das indústrias têxtil, farmacêutica e de celulose. Logo, incentivar a inscrição de agentes fomenta a cadeia produtiva no âmbito local, o que, consequentemente, também potencializa a geração de emprego e renda e a arrecadação municipal de ICMS e ISS.

Os 11 editais vão selecionar projetos de:

a) produção independente de obras audiovisuais brasileiras de longa-metragem de animação, inéditas, de ficção, com temática livre, voltadas para o público infantil, de 0 a 12 anos, e seus respectivos trailers;

b) obras audiovisuais independentes de curta-metragem, de 13 minutos, live action, com temática livre, voltadas para o público infantil, de 0 a 12 anos, e seus respectivos trailers;

c) obras audiovisuais independentes de minissérie de ficção, com 13 episódios de 07 minutos, live action, com temática livre, voltadas ao público infantil, de 0 a 12 anos, e de obras audiovisuais independentes de minissérie de ficção, com 26 episódios de 07 minutos, live action, com temática livre, voltadas ao público infantil, de 0 a 12 anos;

d) produção independente de obras audiovisuais documentais, com duração a partir de 52 minutos, inéditas, com temáticas voltadas à cultura afro-brasileira e indígena, e seus respectivos teasers;

e) produção independente de obras audiovisuais documentais, com duração a partir de 52 minutos, inéditas, com temáticas voltadas à infância e juventude, e seus respectivos teasers;

f) jogos eletrônicos, com temática livre, voltados para adolescência e juventude;

g) transmídias para a produção independente de jogo eletrônico e curta-metragem de ficção de animação com duração de 13 minutos, inéditos, com temática livre, voltados para o público infantil, de 7 a 12 anos;

h) transmídias para a produção independente de jogo eletrônico e minissérie de ficção de animação, com 13 episódios de 7 minutos, inéditos, com temática livre, voltados para o público infantil, de 7 a 12 anos;

i) desenvolvimento de projetos de obras audiovisuais de produção independente e seus respectivos teasers, sendo: 10 propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, ficção ou animação; e 12 propostas de obra audiovisual seriada para televisão, ficção ou animação.

j) desenvolvimento de projetos de obras audiovisuais de produção independente e seus respectivos teasers, sendo: 10 propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, ficção ou animação, para cinema; 10 propostas de obra audiovisual não seriada de longa-metragem, documentário, para cinema; e 15 propostas de obra audiovisual seriada para televisão, ficção ou animação;

k) realização de festivais, mostras, premiações, eventos de mercado e ações de promoção e difusão da produção audiovisual brasileira.

As propostas serão escolhidos de acordo com as cotas estabelecidas nos editais, que tratam de selecionar uma porcentagem mínima de projetos: de produtoras sediadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, e na região Sul e nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo; dirigidos por mulheres (cisgênero ou transexual/travesti), por diretores ou desenvolvedores negros ou indígenas, e novos diretores ou desenvolvedores.

< Voltar

Envie a um amigo